Falta opinião!

24.01.2016 - Social Media

Resolvi escrever este texto porque como profissional de marketing, não consigo aceitar que as celebridades que recebem o título de influenciadores, sejam quase personagens que não expressam opinião a não ser quando o assunto é trabalho. Fui pesquisar os motivos desta postura generalizada e o resultado me surpreendeu. Já adianto que a “culpa” é da internet!

As redes sociais funcionam a base de algoritmos, que são responsáveis por agrupar pessoas e assuntos afins. Isso faz com que quando você bloqueie uma pessoa, descurta uma página ou denuncie um conteúdo, este algoritmo mude e você tenha a impressão de que a internet só tem assuntos os quais você se interessa e que todos ao seu redor são iguais a você.  E isso acaba fazendo com que você seja menos intolerante com o “diferente”. E não é fácil viver na era da internet, onde os intolerantes/haters tem o poder de massa, muitas vezes.

Esta intolerância faz com que as celebridades sigam o modelo do “politicamente correto”, que é o discurso que seus seguidores e fãs querem ouvir, além de que este comportamento trás as marcas e contratos publicitários para o seu lado. Aqui já temos um dos principais motivos do “silêncio”.

Para combater os haters, as assessorias de imprensa das celebridades possuem uma técnica chamada media training, que consiste em simular perguntas e possíveis respostas para evitar sensacionalismo e polêmica. Certa vez em um jantar de negócios em São Paulo, entramos nesta discussão com uma famosa assessora que estava conosco. A resposta foi clara: “Toda vez que um contratante (no caso, uma celebridade) nos informa que irá se posicionar com relação a um assunto, eu enumero tudo o que pode acontecer de negativo por isso. Começando com a perda de contratos, a mídia em cima crucificando, fora o impacto nas mídias, onde não há como ter controle. Aí eu pergunto se vale a pena continuar com a opinião. Todos até hoje escolheram o silêncio.”

Mas nem todas as celebridades escolhem o lado silencioso. Pesquisei (muito) para encontrar algumas celebridades que posicionam e encontrei suas declarações sobre não ficar calado e aguentar as consequências. Veja o que eles pensam a respeito:

 

 " Até hoje, não tenho noção do alcance que tenho. Sou inteligente, autêntica e tenho personalidade, mas também sou ingênua. Esqueço que tem gente que me segue só para tirar o que falo do contexto. Deve ser inveja, né? Com relação a história dos nudes (Pugliesi disse que mandaria nudes para uma amiga vazar, caso ela saísse da dieta), claro que era brincadeira. Até quem repercutiu sabia que aquilo não era sério. Mas esse é o povo brasileiro. Vergonha alheia que sinto desse povo ignorante que... Ai, não vou falar besteira... Gente, graças a Deus eu erro, porque só assim eu evoluo. Na vida a gente amadurece. Não faço mais brincadeiras que fazia cinco anos. A impressão que tenho é que hoje a pessoa não pode errar. Se ela ganhar água, não pode beber, tem que doar. Ela não pode ser magra, porque é crime. Você tem que ser praticamente um Buda. Estou longe disso! Até já me prejudiquei profissionalmente, deixei de assinar contratos, porque as marcas queriam que eu deixasse de falar tal coisa, que eu fosse diferente. Mas nem tudo vale a pena por causa de um contrato. Olha que tenho 1000 defeitos, mas não julgo ninguém. Se a pessoa quiser mandar foto pelada, que mande ninguém vive a vida do outro para julgar se a pessoa manda nudes, se a pessoa trai... Tem gente que só faz o que o assessor manda. Não é o meu caso"

Gabriela Pugliesi, 30 anos, musa fitness.

“Nos meus canais pessoais, sou pessoa física e dormi opinião como mulher e cidadã. Falo mal do Bolsonaro, digo que a meninada tem que ouvir menos funk e sertanejo para conhecer Cazuza. Vi panicats expostas em poses ginecológicas e escrevi: " assistindo ao quadro afogando o ganso e pensando... Que orgulho de ter uma filha panicat, né?” Bastou para me chamarem de invejosa e preconceituosa. Quando o pânico me confrontou, fui clara: acho maravilhosa mulher conquistar o direito de fazer o que quiser com seu corpo. Não há problema em fazer sensual. Mas aquele quadro coloca as meninas num sistema machista e humilhante. Uma delas disse: " fiz porque quis ". Eu acho ótimo mas tenho o direito de não achar legal. Não dou minha opinião para causar, tipo o Téo Pereira da novela Império, que só queria clique. E acho que tinha que ser menos irônica. Mas, para agradar os fãs é preciso ser completamente inexpressiva. E sou só alguém comum falando o que pensa. Trabalhar na tv me faz ser conhecida, não especial "

Monica Iozzi, 34 anos, atriz e apresentadora.

 

 “Eu dou opinião! Nas eleições, perdi 10.000 seguidores, porque tomei partir de critiquei blogueiros que não se posicionavam. Meus assessores diziam que quem me segue quer saber de moda. Discordo! Neste momento do país, não dá para se alienar. Outra polêmica foi quando postei foto com um casaco de pele. Hoje, eu me sensibilizei com a causa e me conscientes ei da minha responsabilidade como formadora de opinião. Não compro mais, mas não vou jogar fora as que tenho. Só evito postar quando uso. Mas tem gente por aí usando pele legítima e, para ser politicamente correta, diz que é Fake, viu?”

Lalá Rudge, 25 anos, blogger e empresária.

 

"Postar foto magra virou politicamente incorreto. No mínimo escreve: "quem gosta de osso é cachorro”. É abusivo isso. Aí, aparece uma gordinha e falam: "Linda, maravilhosa". Ela pode até ser bonita mas eu também posso não gostar. Eu adoro ossos! E outra: sou saudável. Afinal me empenho muito nisso faço ginástica, como orgânicos me policio a cada aquilo que engordo. Não é fácil, mas prefiro assim. Se eu quero ser magra, O problema é meu! O brasileiro está ficando de mal humor. No programa, não podemos mais nem falar que fulana é mal vestida, que lá vem bronca e ameaça de processo. O jeito é virar politicamente... Muda "

Luciana Gimenez, 46 anos, apresentadora e modelo.

 

Muitos artistas não dão opinião por que tem o rabo preso com marcas ou com o governo, porque se envolveram em uns esquemas de financiamento cultural. Eu não tenho rabo preso! Estou construindo a casa de artes Aguinaldo Silva com meu dinheiro. Isso me dá liberdade para falar o que eu quiser. E olha que sou boquirroto e bem politicamente incorreto (risos). Nas novelas, sempre coloca um personagem que falar tudo o que eu penso. Em Império, era Maria Marta (Lília Cabral) que dizia absurdos. Claro que sofro consequências. Quem dá opinião fica taxado de “o inconveniente.” Muitos jornais e colunistas de tv ignoram minha novela e tem uma sutil uma vontade comigo. Por isso admiro quem fala, como Luana Piovani, o Nelson Motta e os colunistas com ideias de direita, que peitam quem fica em cima do muro do politicamente correto "

Aguinaldo Silva, 71 anos, autor de tele dramaturgia.

E você? O que acha da falta de opinião dos haters na era das celebridades sem opinião?